Se querem descobrir e fotografar achados da Natureza da Praia de Quiaios e da Serra da Boa Viagem, visitem uma das regiões mais ricas em Biodiversidade e Geologia de Portugal!

Pesquisar neste blogue

Mapa da Serra da Boa Viagem com Trilhos (Triângulo do Cabo Mondego)

terça-feira, 16 de abril de 2013

Tabelas fitossociológicas Parte IIa

Tabelas fitossociológicas das comunidades de dunas, arribas e matos de Murtinheira/Quiaios (Sector Divisório Português). Parte IIa .

Mapa biogeográfico da área de estudo

(Extraído de: Costa, J. C. et. al. Finisterra, XXXV, 69, 2000, pp. 69-93   )

2. Arribas e Falésias (Sea Cliffs)

Nas arribas e falésias marítimas calcárias encontra-se a flora e vegetação mais original do Sector Divisório Português . Em outono, apesar de chuvas anuais abundantes, observa-se devido aos ventos fortes carregadas de sal, uma seca fisiológica. Nos sítios mais expostos encontram-se três associações que pertencem à aliança mediterrânica Crithmo-Daucion halophili ( Crithmo-Staticetea maritimae ). A associação mais por sul é encontrada de Peniche até Lisboa, com excepção do granítico do Cabo da Roca, chamada Limonietum multifloro-virgati . Além de Limonium virgatum  (= L. oleifolium ) e Limonium multiflorum  são comuns também Dactylis marina , Crithmum maritimum , Plantago coronopus  ssp. occidentalis , Daucus halophilus , Spergularia australis , Armeria welwitschii  ssp. cinerea , Frankenia laevis , Inula crithmoides , Limonium ferulaceum  (COSTA et al., 1998).

    Entre os cabos Carvoeiro (Peniche) e Mondego encontra-se uma comunidade com uma composição similar, mas sem L. multiflorum  and L. virgatum, substituidas por Limonium plurisquamatum  and Limonium ovalifolium . Esta associação é a Dactylo marinae-Limonietum plurisquamati . Ambas as associações são encontradas mais frequentemente em calcário e raramente em arenite. A associação Diantho cintrani-Daucetum halophili  é endémica entre as falésias graníticas do Superdistrito Sintrano . As espécies mais frequentes são Daucus halophilus , Dactylis marina , Crithmum maritimum , Limonium virgatum , Dianthus cintranus  ssp. cintranus , Armeria pseudarmeria , Plantago coronopus  ssp. occidentalis  (COSTA et al., 1998).

   

O Spergulario rupicolae-Armerietum berlengensis  também é endémico e aparece em falésias graníticas do Superdistrito Berlengense . É formado por Armeria berlengensis , Crithmum maritimum , Dactylis marina , Spergularia rupicola , Plantago coronopus  ssp. occidentalis , Silene uniflora , Angelica pachycarpa , etc. (COSTA et al., 1998). Esta comunidade pertence à aliança atlântica Crithmion maritimae . Na primavera encontra-se uma comunidade aero-halofílica e nitrofílica anual que resulta da destruição das comunidades de Limonium : Parapholido incurvae-Catapodietum marini ( Saginetea maritimae ), onde Parapholis incurva , Catapodium marinum , Leontodon taraxacoides  são frequentes (COSTA et al., 1998). Nos restante sítios e nos sítios onde alimentam-se as aves marinhas, pode ser encontrada uma comunidade de nanofanerofitos halonitrófilicos. Esta vegetação pertence à classe de vegetação do Pegano-Salsoletea. Atriplex halimus , Suaeda vera , Frankenia laevis , Beta vulgaris  ssp. maritima , Inula crithmoides são abundantes  – Scrophulario sublyratae-Suaedetum verae  (COSTA et al., 2000).

    A vegetação climax (permanente) das falésias marinhas é a comunidade do Junípero: Querco cocciferae Juniperetum turbinatae . Embora que os dois taxones que fornecem o nome, são dominantes na comunidade, as espécies Asparagus aphyllus,   Olea europaea  var. sylvestris , Rubia peregrina  var. longifolia , Rhamnus alaternus , etc. podem também ser encontras ( tabela XI ).  Esta comunidade é endémica de Portugal e pode ser encontrada do cabo Mondego até ao Algarve (COSTA et al ., 1994). O climax teórico não é atingido nas falésias marítimas devido ao efeito de secagem dos ventos fortes, apesar das pluviosidades anuais elevadas nestes ambientes.

    O Cisto salvifolii-Ulicetum humilis lavanduletosum luiseri  é outro sintaxone endémico do Superdistrito Costeiro Português  (HONRADO et al ., 1999). É uma comunidade atlântica que pode ser encontrada nas falésias marinhas do Foz do Arelho e é formado por Ulex europaeus  ssp. latebracteatus  f. humilis , Cistus salviifolius , Erica umbellata , Daphne gnidium  var. maritima , Genista triacanthos , Brachypodium rupestre , Calluna vulgaris , Pseudarrhenatherum longifolium , Carlina corymbosa  var. major , Dactylis marina , Asparagus aphyllus , Lavandula luisieri , Cistus ladanifer , Rubia peregrina  var. longifolia , Phillyrea angustifolia  e outras.

    No <<Sintrano>> e na parte mais sul do Superdistrito Costeiro Português , em solos graníticos e dunas fósseis e consolidadas, pode ver-se a nova comunidade Daphno maritimi-Ulicetum congesti ; é dominado pelo endémico Ulex jussiaei ssp. congestus , Daphne gnidium  var. maritima , Carlina corymbosa  var. major , Armeria pseudarmeria , Daucus halophilus , Dactylis marina , Euphorbia portlandica , Calluna vulgaris , etc. (syntypus relevé 2, tabela XII ). Esta comunidade forma um mosaico com o Querco cocciferae-Juniperetum turbinatae . É a associação mais por sul da aliança atlântica das falésias marinhas: Dactylido maritimae-Ulicion maritimi , endémica na área do estudo.

    Por sul de Nazaré em solos calcários, a degradação da comunidade do junípero resulta numa comunidade de pequenos arbustos de Ulex densus . Outras espécies comuns são: Salvia sclareoides , Eryngium dilatatum , Anthyllis vulneraria  ssp.  maura , Plantago serraria  var. hispanica : Salvio sclareoidis-Ulicetum densi ulicetosum densi  ( tabela XIII ). É uma comunidade endémica do Sector Divisório Português . Daphne gnidium  var. maritima , Dactylis marina , Daucus halophilus , Carlina corymbosa  var. major , Ononis natrix  ssp. ramosissima , Calendula suffruticosa  ssp. algarbiensis , Helichrysum decumbens  definem uma variante costeira desta associação (variante de Daphne maritima ) em relação à comunidade típica do Superdistrito Costeiro Português . Ela forma um mosaico com as pradarias do Brachypodium phoinicoides  ( Phlomido lychnitidis-Brachypodietum phoenicoidis ) que são habitats ricos em orquídeas selvagens.

Outras comunidades das falésias são: comunidades do Arundo donax  ( Arundini donacis-Convolvuletum sepium ) e comunidades de Tamarix africana  de características semi-naturais - desde que estas são promovidas por objectivos de protecção contra ventos marinhos.

Tabela XI .  - Querco cocciferae-Juniperetum turbinatae

(relevé 14 extraído da Tabela XI de: Costa, J. C. et. al. Finisterra, XXXV, 69, 2000, pp. 69-93  )

Número do relevé

14

Relevé: 14 = Cabo Mondego;

Aspecto

S

Área mínima (1-10m2)

10

Altura (1-10m)

4

Número de espécies

35

Características

Juniperus turbinata

1

Rubia peregrina ?var. longifolia

1

Asparagus aphyllus

.

Daphne gnidium var. maritima

+

Smilax aspera var. nigra

1

Pistacia lentiscus

3

Quercus coccifera

3

Rhamnus alaternus

+

Phillyrea angustifolia

+

Olea europaea var. sylvestris

+

Arisarum vulgare var. clusii

1

Lonicera implexa

+

Lonicera ?implexa

Euphorbia characias

+

Osyris alba

.

Bupleurum rigidum ssp. paniculatum

.

Rhamnus oleoides

.

Link

Myrtus communis

+

Coronilla glauca

2

Phillyrea media

.

http://crdp2.ac-besancon.fr/flore/flore/Oleaceae/especes/phillyrea_latifolia.htm

Ruscus aculeatus

.

Rosa sempervirens

.

Genista tournefortii

1

?Genista tournefortii

Genista hispanica

Melica arrecta

.

Hyacinthoides hispanica

+

Carex distachya

.

Asparagus acutifolius

+

Asparagus ?acutifolius

Selaginella denticulata

+

Scilla monophyllos

.

Companheiras

Cistus salviifolius

1

Brachypodium phoenicoides

1

Dactylis marina

+

Calendula suffruticosa ssp. algarbiensis

1

?Calendula suffruticosa ssp. algarbiensis

Ulex densus

.

Pulicaria odora

+

Eryngium dilatatum

+

Eryngium dilatatum

Urginea maritima

+

Cistus crispus

+

Sedum sediforme

.

Daucus halophilus

+

Lonicera periclymenum ssp. hispanica

.

Carlina corymbosa

.

Ulex jussiaei ssp. congestus

1

Helichrysum decumbens

.

Helichrysum picardi

Cistus monspeliensis

.

Carpobrotus edulis

.

Dittrichia viscosa

.

Antirrhinum majus ssp. linkianum

.

Cheirolophus sempervirens

.

Iberis microcarpa

1

Plantago serraria var. hispanica

.

Convolvulus althaeoides

+

Convolvulus ?althaeoides

Anthyllis vulneraria ssp. maura

.

Anthyllis vulneraria ?ssp. maura

Lobularia maritima

+

Limonium sp.

.

Crithmum maritimum

.

Echium tuberculatum

.

Echium ?tuberculatum

Ionopsidium acaule

.

Thapsia villosa

.

Cynara humilis

.

Euphorbia portlandica

.

Narcissus bulbocodium ssp. obesus

.

Romulea bulbocodium

.

Bellis sylvestris

.

?Bellis sylvestris

Armeria pseudarmeria

.

Mais relevé

Scolymys hispanicus

x

?

Asteriscus spec.

?

?

Inula crithmoides

Outras espécies encontradas:

?Spécies

40°11'31.60"N  8°54'22.93"W

Continuação:  --> Parte IIb

Voltar

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Seguidores

Contribuidores